Capa » Cinema » Do Front – Liga da Justiça
Do Front – Liga da Justiça

Do Front – Liga da Justiça

O grupo de heróis da DC se une para evitar que um grande mal invada e domine a terra, mas somente eles serão suficientes?

Falar sobre o filme da Liga vai exigir um imenso esforço para não dar spoilers, pois tem muita coisa que seria legal comentar, mas por respeito à sua diversão, tomaremos cuidado.

Vamos à sinopse: “Impulsionado pela restauração de sua fé na humanidade e inspirado pelo ato altruísta do Superman, Bruce Wayne convoca sua nova aliada Diana Prince para o combate contra um inimigo ainda maior, recém-despertado. Juntos, Batman e Mulher-Maravilha buscam e recrutam com agilidade um time de meta-humanos, mas mesmo com a formação da liga de heróis sem precedentes, poderá ser tarde demais para salvar o planeta de um catastrófico ataque.

Comecemos com o tom do filme. Está mais leve, mas ainda conta com alguns pontos dark vistos em Batman V Superman, Homem de Aço e uma boa parte do que foi visto em mulher maravilha.

O longa começa com um Batman investigando uma série de aparições de seres que estão em busca de algo e estão abduzindo alguns cidadãos. Vemos mais um pouco daquele Morcegão de BvS descendo o braço sem dó em alienígenas.

Ele, junto com Alfred (que tem até uma boa participação) começam a traçar os locais de avistamentos e descobrem que os sequestros estão indo muito além do que só sumir com as pessoas, mas a busca por alguma coisa.

O que vem a seguir é a introdução, um a um, dos personagens. Começando, claro, com a princesa guerreira em uma situação que ficou um pouco estranha, pois pareceu que ela tem os mesmos poderes do Flash. Calma, foi só uma decisão de roteiro para ela resolver uma situação, mas que ficou parecendo o velocista, ficou.

Barry Allen, como de costume aparece na cadeia conversando com seu pai e mostrando um pouco do seu poder em uma divertidíssima cena. Ali já mostra a que ele veio. Ponto para a atuação de Ezra Miller, que consegue interpretar um carismático Flash. Ele já nos deixa com vontade de assistir a um filme só dele. A cena onde ele é recrutado é bem engraçada. Fiquei com a impressão de que o personagem, em sua atuação, lembra um pouco homem-aranha, de homecoming.

Após uma tensa conversa com Diana, que é alertada sobre a chegada de uma terrível presença, Bruce Wayne decide correr atrás de algumas pessoas que ele julga serem meta-humanos. Nisso somos apresentados ao Aquaman. Esqueça o herói dos quadrinhos, apesar de algumas piadas fazerem referência a ele. Agora ele é interpretado por Jason Momoa, que torna o personagem o mais Brucutu do bando. Pausa pra comentar a escolha dele para o elenco. Caso você não conheça o personagens das Hqs chamado LOBO, procure ou veja alguma coisa sobre ele. Como não deixaram ele para inserir como anti-herói em algum futuro filme da liga ou até mesmo nesse, já que o vilão desse…bom, já vamos falar sobre isso. Voltando ao Aquaman, vemos um Arthur Curry recluso em uma comunidade à beira-mar cuidado de sua vida, trazendo um peixe pra galera, de boa na dele. Quando chega Wayne pra convocá-lo para ajudá-lo em sua missão de frear um novo inimigo. O que se segue fica pra você ver no cinema.

Ciborgue. O que vimos dele foi mostrado brevemente em BvS e já dá para se ter uma idéia do que aconteceu. Uma explosão, membros perdidos e a tentativa de uma pai de salvar o seu filho através de uma tecnologia alienígena. Isso não é revisitado aqui, parte-se do ponto que o espectador já saiba dessa informação. Um comentário rápido é feito sobre o ocorrido e ponto. O que vemos é um Ray Fischer tentando se acostumar com sua nova condição e descobrindo novas funções de sua armadura.

imagem mostrando diversas cenas do filme da liga da justiça

Heróis apresentados, vamos ao vilão.

Não sei se foi decisão dos roteiristas ou se foram as refilmagens, mas não conseguiram criar um antagonista que causasse empatia com o público. Talvez seja pelo fraca computação gráfica utilizada nele ou pela decisão de focar a trama mais no retorno de um personagem mais importante para liga. O Lobo da Estepe vem à terra para unir as caixas maternas e preparar o terreno para a chegada do vilão Darkseid. As caixas, quando, unidas permitem que os habitantes Apokolips, lar de Darkside, e Nova Gênese viagem a grandes distâncias. Liderando uma tropa de parademônios ele busca os artefatos escondidos pelo planeta, causando muita destrição e ótimas cenas de ação. Mas é isso, um vilão que não vai fazer falta nenhuma. Só serviu pra unir a liga e cair no esquecimento.

Por falar em ação, as cenas estão fodásticas e até arrancaram vários aplausos da platéia. Pena não poder comentar muito, mas tem a cena do “olhar” vai fazer seu coração bater mais rápido. Tudo o que envolve ela é de querer levantar da cadeira e bater palmas! Um show de referências e “retorno de favores” são apresentados e garantem a diversão.

Como não poderia ser diferente, Batman cria novos “brinquedos” que empolgam e nos fazem querer ter na coleção. Obrigado a quem editou o trailer e não colocou alguns deles lá para podermos nos surpreender durante a exibição. Supresas que não só se limitam às traquitanas do Bruce, mas também por outras coisas que gostaríamos de ver e que são apresentadas bem rápidas, mas que enchem nossos corações com espectativas boas pro futuro dos filmes da DC. Sério, a mão de dar Spoiler está coçando, não para estragar a supresa, mas pra poder comentar sobre isso e o que pode vir daqui pra frente.

Pra evitar de querer contar mais alguma coisa, vamos terminar falando sobre a breve participação do comissário Gordon, que só veio pra mostrar um pouco mais de Gotham e criar a situação de mais uma piada visual.

A remoção digital do bigode de Henri Cavill é nítida em algumas cenas. A boca do Superman ficou um pouco estranha e engraçada. Tudo isso por conta de um contrato em que ele não poderia tirá-lo por conta de um outro filme que ele estava participando. Nada que estrague a experiência, fica mais como curiosidade.

Enfim, as cenas com todos os heróis em cena funcionam e tem sinergia, destaque para a dupla Ciborgue e Flash e algumas faíscas entre Bruce e Diana.

A Liga da Justiça serviu como introdução de alguns personagens e preparação de terreno, literalmente, para a chegada do grande vilão Darkside.

Agora é esperar os filmes individuais e se preparar para uma batalha, acredito eu, épica no próximo filme.

Vou dizer que, pessoalmente, estou um pouco saturado de assistir filme de super heróis e, obrigatoriamente, eles terem que ficar fazendo piadas só para agradar ao público. Não está ruim, sério, nem quero ser babaca, mas custa deixar o humor pra Marvel e focar em uma história um pouco mais séria de vez em quando, só para variar? Pense bem: imagine uma invasão ao planeta terra, gente morrendo, cidades sendo distruídas e os heróis fazendo comentários engraçados no meio de uma crise. Acho que não rolaria. Nem tudo tem que ser uma festa colorida pra agradar adolescente. Mas ok, como já falei, não atrapalha em nada o andamento da história.

Liga da Justiça tem direção de Zack Snyder, atuação de Ben Affleck, Henry Cavill, Superman, Clark Kent, Gal Gadot, Ezra Miller, Jason Momoa, Ray Fisher, Amy Adams, Jeremy Irons, Diane Lane,  Connie Nielsen, J.K. Simmons, Amber Heard, Joe Morton e estreia dia 16 de novembro de 2017 no Brasil.

Sobre Joe Redux