Capa » Cinema » Do Front – Maze Runner: A Cura Mortal
Do Front – Maze Runner: A Cura Mortal

Do Front – Maze Runner: A Cura Mortal

O 3º filme da franquia Maze Runner chega aos cinemas para um fechamento de franquia em um bom nível, com excelente cadencia, e honesto em sua trajetória. A trilogia encerra a jornada de Thomas, que começou lá em 2014, com o 1º filme da franquia, Correr ou Morrer,

Maze Runner: A Cura Mortal tem excelentes momentos de ação e outros contrapontos um tanto mais arrastados, mas, que no geral, unidos, cumprem bem seu papel na cadencia, e fazem a história andar, respondendo as perguntas tão almejadas pelos protagonistas quanto os fãs da série.

Dos 3 longas da trilogia, este, é o que mais tem revelações que completam as lacunas deixadas ao longo do tempo nos 2 filmes anteriores. Também, este é o encerramento e nada mais justo do que ter pelo menos a maioria destas questões encerradas e fechando os quebra-cabeças!

A história do filme de um modo geral funciona, mas quando você a une aos demais filmes, e á vê, como um todo. Ela é simples, mas funcional e honesta, sem pretensões megalomanias, e isso, são um ponto muito forte e favorável. Já quando você passa para as jornadas pessoas dos personagens em termos de desenvolvimento, elas já não tem a mesma força mesmo com excelentes interpretações como do jovem ator, Thomas Sangster, que vive o personagem Newt, um dos melhores da franquia e destaque neste 3º filme.

De toda a trilogia, eu, preferencialmente gosto muito do 1º filme, pois ele trouxe um misto de novidade em uma fórmula que já estava sendo muito explorado nos cinemas, o teen action, com Jogos Vorazes, Divergente, Crepúsculo e outros. Mas, em Maze Runner: Correr ou Morrer, a junção de ação, com um argumento simples, mas que aguçou a curiosidade, com aquela gente jogada em um imenso e mortal labirinto, sem nenhuma explicação, e você, sabe tanto quanto os personagens que estão sendo apresentados trouxeram ao gênero, o que eu, acho que foi crucial para o sucesso da franquia, que foram, o suspense e o clima de mistério que rendavam os corredores do labirinto e o porquê eles estavam lá e passando por aquela experiência.

Este 3º longa encerra muito bem a franquia, com cenas de ação, muito bem coreografadas e executadas, no melhor estilo, referenciado de Mad Max, com efeitos práticos e muita adrenalina desenfreada! Isso fica bem evidente em destaque na cena de abertura do filme.

Além disso, os efeitos visuais do longa são outro ponto forte deste 3º filme. São muito bem trabalhados trazendo profundidade e escopo a este mundo caótico e pós- apocalíptico do diretor Wes Ball, que, aliais o sucesso desta franquia em termos de visual e ação e aventura, se deve a este cara, que, trabalhou muito tempo como diretor de efeitos visuais, então, esta na praia dele e mandou muito bem, agregando muito valor visual à franquia.

Maze Runner: A Cura Mortal ainda passou um grande problema e susto quando nas filmagens do set no Canadá, o protagonista da franquia, o ator, Dylan O’Brien, foi atropelado durante as gravações e teve vários ossos fraturados, atrasando o lançamento em praticamente 1 ano. Porém, a produção tirou forças deste momento e trabalhou arduamente em melhorar e refinar os efeitos visuais o que deixou com certeza este longa um dos mais visualmente bem feitos e bem elaborados e estruturados da franquia, destaque para The Last City, que tem um visual irretocável com seus prédios iluminados e sua imponente muralha.

Um ponto que pode ser tido como uma pequena escorregada diante de bastantes acertos é a duração extremamente longa de 2 horas e 20 de filme, que gera momento de uma “barriga” onde se tenta dramatizar momentos que de fato poderiam ter sido bem menos extensos, e o filme poderia ter fechado tranquilamente em até 2 horas, mas isso não atrapalha a experiência, ao ponto de ser um imenso problema.

De uma maneira geral, de todas estas franquias do gênero Teen Action, Maze Runner, é, a que melhor funciona, e a que melhor e encerrou, de forma justa e honesta, com um bom 3º filme, que, funciona como um 3º ato da história, e fecha de forma muito bem construída a jornada do grupo liderado por Thomas, é diversão garantida e para os fãs da franquia, que leram os livros, é um excelente filme que adapta muito bem a história para as telonas.

Maze Runner: A Cura Mortal já está em cartaz nas principais salas de cinema e em IMAX.

Sobre Rodrigo Ribeiro

Rodrigo Ribeiro